Páginas topo

Cactos Brasileiros PRESERVE!

Muito se devasta e pouco se preserva. Muitos cactos estão sendo extintos, pois, as suas principais áreas estão sendo destruídas, não é preciso nem dizer por quem. Hoje as mudanças climáticas é um dos fatores que aumenta a extinção dos cactos, queimadas principalmente, faz uma devastação imensa sabendo que muitos cactos vivem em área planas o que facilita um incêndio. As áreas com maior incidência de cactos são: Goiás, Tocantins, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí e Bahia. Esse foi apenas um alarde. Agora algumas fotos de maravilhosos e perfeitos cactos no seu habitat natural:


discocactus zehntneri ssp boomianus













melocactus ernestii













Para ver mais imagens acesse:

http://cactoscactus.blogspot.com/2009/08/cactos-brasileiros.html

Cacto vira doce na terra de Lampião

Matéria : Glauco Araújo Do G1, em Poço Redondo (SE)

Coroa de frade é o ingrediente principal da iguaria preparada por cangaceiros. Sabor é semelhante ao doce de mamão com coco, mas tem um pouco de ardor.
Em Poço Redondo (SE), a receita de um doce está dando o que falar durante as celebrações pelos 70 anos das mortes de Lampião e Maria Bonita. É o doce de cacto. A iguaria é preparada com a coroa-de-frade, planta da família das cactáceas, muito comum na região da caatinga nordestina.
Para quem olha o doce e sabe que é feito de cacto, a impressão inicial não é das melhores, mas assim que as pessoas provam, o sabor do quitute se revela surpreendente. Semelhante ao doce de mamão com coco ou até mesmo com uma cocada mole, tanto na apresentação como no sabor, o doce de cacto é um dos mais procurados na região. Os moradores mais antigos contam que a receita, guardada parcialmente em segredo, foi elaborada por cangaceiros.
Luciana Rodrigues, 25 anos, comerciante instalada na entrada da trilha de Piranhas (AL) para a Grota de Angicos, prepara o doce da seguinte forma: ela lava, tira os espinhos e depois corta a coroa-de-frade em pedaços. Em seguida, Luciana rala o cacto e lava tudo novamente com bastante água. Depois de seco, ela os coloca na panela para cozinhar por cerca de quatro a cinco horas. “O tempo depende da qualidade da coroa-de-frade. A gente já sabe, quando pega uma para fazer o doce, o tempo que vamos demorar para o preparo”, disse. Depois de parcialmente cozido, ela acrescenta o açúcar, a canela em pó e bastante cravo. “É este último ingrediente que dá o sabor um pouco ardidinho no final. Mas nem todos os ingredientes nós revelamos. É segredo de cangaceiro”, brinca a comerciante. Ela também não conta como se descobre o ponto exato do doce, que é servido em porções equivalentes a uma colher de sopa. Cada unidade sai por R$ 0,50. “É o doce que mais vendo aqui. Além dele, também vendemos muito a ‘bala que matou Lampião’, que é feito com doce de leite.”


Mais fotos de cactos enxertados







As fotos laterais são de DAVI B. Vieira.

Enxerto Cactos

Clique na imagem para ver o passo a passo:

















Materiais necessários:
Faca, estilete ou gilete bem afiado;
Álcool para esterilização para evitar fungos;
Enxerto (para a base pode ser Matucana auranthiaca Hibrido, Opuntia , cereus ou outros;
Elástico(liga) ou fita para prender o cacto na base.


1º Passo
Fazer toda esterilização do material que vai ser usado (Faca, estilete ou gilete)

2º Passo
Cortar a base que vai ser feita a enxertia até onde se possa ver o tecido
vascular que é um ponto branco onde irá juntar os dois cactos. No caso
da Opuntia como base não precisa ter tanto cuidado quanto a isso, pois,
ela é bem vascularizada. Logo depois faça o corte no cacto que vai ser enxertado.

3º Passo
Juntar a base e o cacto que será enxertado e colocar o elástico para prender
bem os dois pedaços e não haver espaço ou bolha de ar entre eles, tendo o
cuidado de não apertar tanto, pois, pode machuca-los.

Pronto !
Aguarde em torno de seis dias para que as partes se juntem e só depois tire o elástico para que as duas partes fiquem bem fundidas. Depois aguarde mais uma semana antes de colocar na terra para que a base esteja cicatrizada de preferência colocando nessa base pó em canela, pois ajuda na cicatrização.
Assim as plantas terão um maior aceleramento no crescimento.
Alguns cuidados devem ser tomados. Por exemplo: alguns cactos são próprios de enxertos, ou seja, não sobrevivem caso percam a base. Caso não sejam esses cactos próprios de enxertos, quando se perde a base em caso de apodrecimento, se tira o cacto enxertado antes que a putrefação o alcance assim terá chances de salvar o cacto. Caso queira, depois de um tempo com o cacto já enraizado e forte refaça o enxerto, mas não faça isso logo após retirada do enxerto, pois, o cacto pode estar debilitado.

Cactos próprios de enxertos:










Mais conhecidos:

Gymnocalycium mihanovichii 'Hibotan'

Chamaecereus silvestrii variegata

Chamaecereus silvestrii variegata

Fontes:

http://www.toptropicals.com/

www.gargamel-cactus.com/trucs.html

http://www.bonsaimilenar.com/

diseyes.lycaeum.org/fresh/graft.htm

Orkut Comunidades:

Sementes de cactos para todos

Coleciono Cactos

Cactos e Suculentas Para Todos

B&B-Bar,Birita-Cactos/Sementes